Seu filho é muito ansioso? Hospital do Rio abre atendimento gratuito para distúrbios de ansiedade

23/04/2014

wfjjc6nmj_1ul2il1r8e_fileVocê tem filhos pequenos? Sabia que a Santa Casa da Misericórdia do Rio de Janeiro abriu turmas de atendimento gratuito a crianças e adolescentes com distúrbios de ansiedade? O objetivo é atender crianças e adolescentes entre oito e 13 anos.

De acordo com assessoria de imprensa do hospital, o diagnóstico pode evidenciar ansiedade generalizada (preocupação com tudo, o tempo inteiro), ansiedade de separação (medo de ir à escola, de que algo aconteça com os pais) e fobia social (vergonha extrema, medo de se expor). Antes do tratamento, eles passam por uma triagem para confirmar a ansiedade e depois são encaminhados para atendimento.

A psicóloga Lucia Marmulsztejn, do setor de Psiquiatra Infantil da Santa Casa, lembra que em muitos casos a ansiedade prejudica diversas etapas importantes da vida pessoal e profissional.

As crianças selecionadas passam por uma terapia e têm seu problema avaliado e tratado caso a caso, por psicólogos e, se necessário, também com acompanhamento psiquiátrico. Quanto antes detectada a ansiedade, mais fácil será prevenir que essa criança ou adolescente venha a adquirir uma ansiedade incapacitante na vida adulta.

Caso os pais identifiquem essas características no comportamento dos filhos, podem procurar o serviço de Psiquiatria do Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia do Rio, na Rua Santa Luzia, nº 206, Centro, Rio de Janeiro. As demais dúvidas podem ser tiradas nos números 2221-4896 e 2533-0118.

Principais sintomas de ansiedade

- Fica preocupado (a) com tudo;

- Estuda muito, mas tem “branco” na hora da prova;

- Pergunta várias vezes a mesma coisa ou faz várias perguntas sobre temas que o(a) afligem;

- Queixa-se com frequência de dor de cabeça, dor na barriga, falta de ar, cansaço ou dores musculares;

- Tem dificuldades para dormir;

- Fica preocupado (a) com notícias que assiste na TV sobre tsunamis, furacões, enchentes, etc;

- Fica preocupado (a) em ser esquecido na escola;

- Imagina com frequência que o pior vai acontecer;

- Fica com medo de perder os pais ou de ser raptado (a), sequestrado (a);

- Reluta ou se recusa a ir para a escola;

- Tem vergonha de falar na frente da turma;

- Evita ou reluta em participar de eventos sociais (festas, apresentações);

- É muito tímido(a), não se sente à vontade em interações com pessoas pouco conhecidas;

Fonte: R7

Tags: , ,